Métodos

Ritual Goetia

Nas Clavículas de Salomão, são descritos métodos detalhados para evocação de daemons. Porém, há outros métodos descritos em publicações de demonologia e satanismo, e mesmo uma simples meditação pode ser utilizada, conforme o nível de prática do magista, e sua necessidade de concentração. No caso da meditação, esta pode ser auxiliada por incensos, sons, objetos e desenhos associados às energias que serão trabalhadas, definidos por analogia.

Materiais

Segundo as Clavículas de Salomão, os selos dos daemons devem ser confeccionados utilizando diferentes metais, ou cores metálicas que remetam aos planetas, de acordo com a hierarquia. Alguns daemons podem estar relacionados a mais de uma hierarquia, e portanto a mais de um material.

Tabela de Materiais
Material Hierarquia Daemons
Ouro Reis Baal, Paimon, Beleth, Purson, Asmoday, Vine, Balan, Zagan, Belial
Cobre Duques Agares, Valefor, Barbatos, Gusion, Eligos, Zepar, Bathim, Sallos, Aim, Bune, Berith, Astaroth, Focalor, Vepar, Vual, Crocell, Alloces, Murmur, Gremory, Vapula, Haures, Amdusias, Dantalion
Estanho Príncipes Vassago, Sitri, Ipos, Gaap, Stolas, Orobas, Seere
Prata Marqueses Samigina, Amon, Leraje, Naberius, Ronove, Forneus, Marchosias, Phenex, Sabnock, Shax, Orias, Andras, Andrealphus, Cimeies, Decarabia
Ligas metálicas Presidentes Marbas, Buer, Botis, Marax, Glasya-Labolas, Foras, Gaap, Malphas, Haagenti, Caim, Ose, Amy, Zagan, Valac
Ferro Condes Botis, Marax, Glasya-Labolas, Ronove, Furfur, Halphas, Raum, Vine, Bifrons, Andromalius
Chumbo Cavaleiros Furcas

Círculos de Magia

Os círculos (e/ou triângulos, hexagramas, pentagramas) de magia descritos nas Clavículas de Salomão devem ser desenhados no chão e nas vestes do magista, usando cores específicas e dimensões aproximadas que variam conforme as versões dos textos. Os elementos básicos descritos nas versões mais usuais, a serem desenhados no chão, de dentro para fora, são:

  • Quadrado vermelho onde o magista irá se posicionar
  • Quatro hexagramas com pontas amarelas e centro azul ou verde
  • Círculo interno com 6 pés de diâmetro
  • Cobra em espiral contendo os nomes divinos, sobre fundo amarelo
  • Círculo externo com 9 pés de diâmetro
  • Quatro pentagramas com pontas amarelas e centro vermelho, contendo velas
  • Triângulo branco com círculo verde inscrito, onde o daemon irá se manifestar
Selo de Salomão usado em rituais de goécia tradicional, ou salomônica

Vestes e selos

O magista deve ser usar vestes brancas, onde será desenhado o hexagrama de Salomão. Este hexagrama deve ser mostrado aos daemons para compelir que se mostrem em forma humana. Sobre o peito do magista, deve ser posicionado o selo do daemon selecionado, contendo em sua outra face o pentagrama de Salomão. Este talismã serve para proteger o magista e comandar os daemons por meio de seu selo específico. Já em outra versão dos rituais, o selo que deve ser desenhado no verso é o do anjo correspondente (estes também são 72), tornando possível o controle dos daemons.

Há ainda o disco de Salomão, que deve ser gravado em um anel de ouro ou prata, e segurado em frente à face do magista para protegê-lo da fumaça e do fogo expelidos pelos daemons. Finalmente, o selo secreto de Salomão deve ser usado para aprisionar os daemons em urnas.

Urna

Dependendo do desejo do magista, os daemons podem ser guardados em urnas, feitas em latão e seladas hermeticamente. O selo secreto de Salomão, descrito anteriormente, deve ser desenhado ou soldado sobre a tampa das urnas, preferencialmente em chumbo.

Evocação

Segundo as Clavículas de Salomão, as evocações podem ser feitas de diversas formas, e utilizando diferentes ferramentas como cetro, espada, mitra, chapéu, túnica, mantos de diversas cores, caixas, incensos, carvão e água. De forma geral, a evocação segue algumas etapas.

  • Purificação: o magista se limpa do pecado e de qualquer energia que carregue consigo;
  • Conjuração: o magista evoca uma ou mais vezes o daemon desejado, comandando-o pelos nomes divinos e pelos nomes de seus superiores infernais, e desde já requisitando que não seja enganado, exposto a ambiguidades, ou mesmo assustado pelo daemon, e não seja seguido pelo mesmo após o término do ritual;
  • Segunda conjuração: evocação de forma mais assertiva, caso o daemon não apareça;
  • Mandamento: o magista comanda o daemon para aparecer, de forma mais brusca, sob pena de ser eternamente penalizado;
  • Invocação do Rei: caso o daemon não apareça, este pode ter sido comandado por seu Rei a realizar outra tarefa, e esta etapa consiste da evocação de seu Rei para mudança das ordens;
  • Maldição menor: conjuração usada para amaldiçoar o daemon e sua linhagem hierárquica caso este não apareça, ou tenha alguma atitude que desagrade o magista;
  • Conjuração do fogo: forma avançada de maldição, onde o selo do daemon é colocado em uma caixa com materiais fétidos (por exemplo, assafétida), que é aquecida sobre o fogo até que o daemon colabore;
  • Maldição maior: caso o daemon ainda assim não apareça, a caixa é queimada, sendo retirada do fogo assim que houver colaboração.

Negociação

Após uma evocação bem sucedida, segundo as Clavículas de Salomão, é necessário receber, dar as boas vindas e solicitar o que se deseja ao daemon. As etapas são descritas a seguir.

  • Recebimento: o magista mostra ao daemon todos os selos de proteção, pentagramas e hexagramas, se protegendo com o disco ou anel à frente do rosto e solicitando obediência;
  • Boas vindas: são dadas as boas vindas ao daemon, comandando-o que fique sempre dentro do triângulo de invocação, e que não parta sem licença, e sem realizar os desejos do magista;
  • Solicitações: as solicitações devem ser realizadas de uma forma que evite ao máximo ambiguidades ou mal-entendidos, focando-se nos efeitos práticos e na intenção desejada, e mentalizando-se as pessoas, objetos e lugares envolvidos.

Banimento

Segundo as Clavículas de Salomão, o banimento inicia com uma licença para partir, comandando o daemon para que não realize nenhum ato danoso a qualquer pessoa que não esteja envolvida nos pedidos, ou mesmo ao local do ritual. Posteriormente, agradece-se aos nomes divinos que tornaram a evocação possível. Pode ainda ser realizado um ritual menor do pentagrama para limpeza e re-estabelecimento das energias.