A Goécia Tradicional ou Goécia Salomônica é o tipo mais ortodoxo e milenar de prática goética. Nesta vertente, os rituais utilizam os poderes divinos de concentração, manutenção e controle (de mão direita, ou popularmente “magia branca”) para impelir os Daemons a realizarem os pedidos. Geralmente, são mencionados nomes de Deus, Arcanjos e Anjos, que irão imbuir o magista de autoridade para que os Daemons realizem suas intenções.

Vários homens da Igreja realizaram este tipo de prática, e deixaram como legado seus grimórios, entre eles o de alguns Papas da Igreja Católica. Os rituais descritos na maioria das versões do Lemegeton, bem como no Testamento de Salomão, são referentes à Goécia Salomônica.

O que é Goécia Salomônica, ou tradicional

Na Goécia Salomônica, o caráter divino inicial se dá pelos nomes que são escritos em torno do círculo cerimonial. Dentro do desenho de uma cobra ou Ourobouros, são escritos os nomes de anjos planetários e dos arcanjos mais importantes das hordas celestiais. Estas são as entidades angelicais que irão auxiliar o magista a subjugar os Daemons para que estes realizem seus desejos. Além dos anjos, são utilizados vários nomes de Deus para a prática.

Selo de Salomão usado em rituais de goécia tradicional, ou salomônica

Podem ser utilizados instrumentos referentes aos quatro elementos, sendo eles a baqueta, a adaga, o cálice e o cristal para fogo, ar, água e terra, respectivamente. Todos os materiais, bem como as vestimentas, são purificados pelos poderes divinos durante a preparação do ritual.

No início da cerimônia, o magista é imbuído com as forças de diversas manifestações ou diferentes nomes de Deus, entre elas El, Elohi, Asher Ehyeh, Zabaoth, Elion, Iah, Tetragrammaton e Shaddai. Também pode ser realizado um banimento pelo Ritual menor do Pentagrama (RmP), citando-se os nomes de Deus e dos anjos das quatro direções cardeais, sendo eles Javé/Miguel, Adonai/Gabriel, Eheieh/Uriel e Agla/Rafael, para Leste, Sul, Oeste e Norte, respectivamente.

Em seguida, solicita-se que o espírito apareça, aplicando-se punições e fazendo-se ameaças cada vez mais poderosas caso isto não ocorra. O selo do espírito é levado ao fogo, em uma das últimas evocações, obrigando-o a se revelar.

Após a realização do ritual, o espírito é saudado e convidado a se retirar, se prontificando a aparecer novamente caso solicitado. Durante toda a cerimônia, os nomes de Deus são utilizados para manifestar a pureza e a retidão do magista, levando à subserviência dos Daemons.

Em suma, observa-se que a Goécia Salomônica é caracterizada como de mão direita, e neste caso é mais usual que se solicitem elementos que venham a manter a Ordem Divina, e que ajudem o magista na sua transcendência, mas sempre de acordo com a Providência. O magista se torna guardião do Destino pré-definido do Universo.